blank

Over 10 years we helping companies reach their financial and branding goals. Onum is a values-driven SEO agency dedicated.

CONTACTS

Requisitos para instalação de tubulação de gás medicinal

A tubulação de gás medicinal e os seus equipamento são fundamentais nos sistemas de saúde. Para o sucesso do seu projeto, não deve haver negligência profissional envolvida. Você precisa de serviços e profissionais de engenharia qualificados para que o seu sistema de tubulação de gás medicinal funcione corretamente.

Nesse artigo iremos apresentar alguns pontos importantes a serem observados.

tubulação de gás medicinal

O sistema de tubulação de gás medicinal

O sistema de tubulação de gás medicinal possui diversos periféricos, devido a existência de vários tipos de gases, e esses gases variam de acordo com as necessidades dos pacientes. Instalações médicas não funcionam com um único gás. Existem de 4 a 8 gases diferentes que trabalham ao mesmo tempo para atender à demanda de acordo com os requisitos de tratamento. Existem diferentes tipos de gases usados para esse fim, incluindo:

• Oxigênio
• Óxido nitroso
• Azoto
• Hélio
• Vácuo
• Ar comprimido medicinal
• Líquidos Criogênicos

O sistema de tubulação de gás medicinal deve funcionar continuamente. As tubulações serão conectadas a uma fonte de suprimento, como tanques, cilindros ou compressores.
O sistema é muito complexo e precisa ser seguro também. Deve haver operações e controle de pressão adequada, juntamente com sistemas de alarme que irão emitir um aviso sonoro e luminoso imediatamente em caso de vazamento.

Dimensionamento dos tubos de gás medicinal

Toda a rede de tubulação de gás medicinal é dimensionada com base nos seguintes fatores:

• Pontos de consumo
• Simultaniedade
• O comprimento equivalente do tubo
• Perda de pressão permitida
• Pressão de trabalho

Recomendável diâmetros maiores em algumas seções do sistema, o que permitirá que os engenheiros façam alterações posteriormente, além de oferecer espaço para expansões. O custo associado à substituição de um tubo pequeno por um grande é significativamente maior do que o custo do tubo de diâmetro maior.

Tipos de tubulação de gás medicinal e seu manuseio

tubulação de gás medicinal
Existem vários tipos de materiais utilizados na tubulação de gás medicinal para diferentes fins. Na grande maioria se utiliza tubos de cobre rígido e soldado, a classe varia de acordo com a pressão de trabalho e o diâmetro varia em função a vazão requerida.

Os tubos devem ser limpos e isentos de graxa e óleos, protegidos durante a instalação para evitar sujeiras.

O processo de solda tem como elemento de adição ligas a base de prata ou foscooper .

Considerações importantes na instalação de uma tubulação de gás medicinal

Ao instalar uma tubulação de gás medicinal, existem várias considerações importantes a serem levadas em conta para garantir a segurança e eficácia do sistema. Algumas dessas considerações incluem a seleção adequada do tipo de tubulação, a necessidade de fazer uma análise de risco, o planejamento da rota da tubulação, a escolha do local adequado para a instalação e a certificação dos profissionais envolvidos no processo de instalação, limpeza da graxa dos tubos e testes de estanqueidade. Além disso, é importante garantir que as especificações do sistema sejam compatíveis com as necessidades da unidade de saúde, e que a instalação seja realizada de acordo com as normas e regulamentações aplicáveis. O não cumprimento dessas considerações pode colocar em risco a segurança dos pacientes e profissionais de saúde, além de prejudicar o funcionamento da unidade de saúde. Portanto, é essencial que a instalação da tubulação de gás medicinal seja realizada com cuidado e por profissionais qualificados.

Manutenção preventiva e corretiva da tubulação de gás medicinal

A manutenção preventiva e corretiva da tubulação de gás medicinal é essencial para garantir a segurança e eficiência do sistema. A manutenção preventiva envolve a realização de inspeções regulares na tubulação, a fim de identificar possíveis problemas antes que se tornem mais graves. Isso inclui a verificação de vazamentos, corrosão, desgaste e outros problemas que possam afetar a integridade da tubulação. A manutenção preventiva também envolve a substituição de componentes que estejam desgastados ou danificados, a fim de garantir o bom funcionamento do sistema.

Já a manutenção corretiva é realizada quando há uma falha na tubulação que precisa ser corrigida. Isso pode incluir reparos em vazamentos, substituição de componentes danificados ou a realização de testes e inspeções mais detalhadas para identificar problemas mais graves. É importante que a manutenção corretiva seja realizada o mais rápido possível, a fim de minimizar o tempo de inatividade do sistema e garantir a segurança dos pacientes e profissionais de saúde.

Tanto a manutenção preventiva quanto a corretiva devem ser realizadas por profissionais qualificados e em conformidade com as normas e regulamentações aplicáveis. É recomendado que a manutenção seja realizada de acordo com um plano específico, que leve em conta as necessidades da unidade de saúde e o uso da tubulação de gás medicinal. A falta de manutenção adequada pode levar a problemas graves, como vazamentos de gás ou outros riscos à segurança. Portanto, é essencial que a manutenção seja realizada com frequência e por profissionais qualificados

Normas e regulamentações para a instalação de uma tubulação de gás medicinal

A instalação de uma tubulação de gás medicinal deve estar em conformidade com as normas e regulamentações aplicáveis a fim de garantir a segurança e eficácia do sistema. Diferentes países e regiões podem ter regulamentações específicas, mas em geral, as normas e regulamentações abordam aspectos como o tipo de tubulação permitido, o planejamento da rota da tubulação, a localização adequada da instalação, a certificação dos profissionais envolvidos no processo de instalação e a manutenção adequada do sistema.

No Brasil, a instalação de uma tubulação de gás medicinal deve estar em conformidade com a RDC 50 da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que estabelece as normas para o funcionamento de serviços de saúde. Além disso, o sistema deve ser projetado e instalado de acordo com a ABNT NBR 12188 – Sistemas centrais de suprimento de gases medicinais.

Entre as normas e regulamentações aplicáveis, é comum encontrar orientações para a identificação de pontos de conexão e desconexão da tubulação, a instalação de válvulas de segurança, a necessidade de registros e de documentação técnica, a obrigatoriedade de testes de pressão e estanqueidade e a padronização da cor das tubulações para facilitar a identificação dos gases medicinais.

A instalação de uma tubulação de gás medicinal deve ser realizada por profissionais qualificados e certificados, e a manutenção do sistema deve ser realizada de acordo com um plano específico e em conformidade com as normas e regulamentações aplicáveis. O não cumprimento dessas normas e regulamentações pode colocar em risco a segurança dos pacientes e profissionais de saúde, além de acarretar sanções legais para a unidade de saúde responsável pela instalação do sistema.

Testes e inspeções necessários para garantir a segurança da tubulação de gás medicinal

A realização de testes e inspeções é fundamental para garantir a segurança da tubulação de gás medicinal. Esses testes e inspeções devem ser realizados regularmente, a fim de identificar possíveis problemas que possam comprometer a segurança e eficácia do sistema.

Entre os testes e inspeções necessários, destacam-se:

  1. Teste de pressão: Este teste é realizado para verificar a resistência da tubulação e das conexões à pressão. O teste é geralmente realizado durante a instalação da tubulação e em intervalos regulares, conforme especificado pelas normas e regulamentações aplicáveis.
  2. Teste de estanqueidade: Este teste é realizado para verificar se há vazamentos na tubulação. É realizado após a instalação da tubulação e sempre que houver qualquer suspeita de vazamento. O teste de estanqueidade é importante para garantir que os gases medicinais estejam sendo fornecidos de forma segura e eficaz.
  3. Inspeção visual: A inspeção visual é realizada para verificar a integridade da tubulação, conexões e outros componentes. É importante que a inspeção visual seja realizada regularmente, a fim de identificar problemas como corrosão, desgaste ou danos físicos que possam afetar a segurança do sistema.
  4. Análise de gases: A análise de gases é realizada para verificar a qualidade dos gases medicinais fornecidos pela tubulação. A análise é realizada em intervalos regulares para garantir que os gases medicinais estejam dentro dos padrões de qualidade especificados pelas normas e regulamentações aplicáveis.
  5. Teste de funcionalidade: O teste de funcionalidade é realizado para verificar se todos os componentes da tubulação estão funcionando corretamente. É importante que o teste de funcionalidade seja realizado regularmente para garantir que o sistema esteja pronto para uso em caso de emergência.

A realização desses testes e inspeções é fundamental para garantir a segurança da tubulação de gás medicinal. É importante que esses testes e inspeções sejam realizados por profissionais qualificados e em conformidade com as normas e regulamentações aplicáveis.

Conclusão

Há muitos fatores a serem considerados antes da instalação de um sistema de tubulação de gás medicinal em suas instalações médicas. Não se trata apenas de criar um sistema que funcione, os engenheiros também devem cumprir os termos e condições estabelecidos pela NBR 12188 e RD 50 para tubulação de gás medicinal. A conformidade evitará problemas com multas e manutenções corretivas.
Apenas certifique-se de contratar engenheiros habilitados com anos de experiência nessa área. Eles cuidarão do trabalho com mais cuidado e também manterão o custo de instalação sob controle.

tubulação de gás medicinal

Matérias Atualizadas Redigidas por Especialistas

Blog - Engethink

Compartilhar nas Redes Sociais

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email