blank

Over 10 years we helping companies reach their financial and branding goals. Onum is a values-driven SEO agency dedicated.

CONTACTS

O nitrogênio hospitalar e sua importância

O nitrogênio é um gás muito conhecido, já que compõe parte da nossa atmosfera. Além disso, costuma-se utilizar o gás em larga escala como nitrogênio industrial e nitrogênio hospitalar. E é desse segundo que vamos tratar hoje. Afinal, podemos considerar o nitrogênio também como um dos principais gases hospitalares.

A saúde de um paciente internado não depende apenas de medicamentos. Muitas vezes, o tratamento necessário demanda a aplicação de certos gases, que têm diferentes funções. Instalar uma régua de gases com todos os suprimentos necessários aos seus pacientes é uma forma de preservá-los, garantindo assim sua correta recuperação.

Se você deseja entender melhor para que serve e como usar o nitrogênio hospitalar, continue lendo. Nosso artigo de hoje vai tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

nitrogênio medicinal

Breve resumo sobre os gases hospitalares

Para introduzir o assunto, vamos falar brevemente sobre os gases hospitalares, sob um ponto de vista mais geral. Normalmente, quando ouvimos falar no assunto, a primeira palavra que nos vêm à mente é oxigênio. Isso porque ele é o principal gás hospitalar e um dos mais importantes, já que ajuda a prover a respiração para pacientes que, por alguma razão, estão com baixa saturação.

Também há o vácuo hospitalar, responsável pela sucção de fluídos orgânicos e artificiais, que poderiam causar danos caso permanecessem em contato com o paciente. Para cirurgias simples, utiliza-se o dióxido de carbono, enquanto o óxido nitroso permite procedimentos mais invasivos, já que tem função anestésica. Mas o destaque do nosso artigo de hoje vai para o nitrogênio.

Entenda a função do nitrogênio hospitalar

nitrogênio hospitalar

No ambiente hospitalar, o nitrogênio é um gás muito útil e versátil que pode ser aplicado em diversos procedimentos médicos. Uma das suas principais aplicações é nos processos criocirúrgicos, que consistem no uso do nitrogênio líquido para remover lesões, incluindo as cancerígenas. No entanto, sua utilização está mais relacionada a cirurgias dermatológicas, devido à sua capacidade de congelar a pele de maneira precisa e controlada.

Além disso, o nitrogênio hospitalar também é utilizado para a conservação de tecidos e amostras de sangue que precisam ser armazenados por longos períodos. Essa capacidade é muito importante em laboratórios de análises clínicas e em bancos de sangue, que precisam preservar esses materiais para futuras pesquisas e análises.

Na indústria farmacêutica, o nitrogênio é um gás amplamente utilizado na produção de medicamentos, especialmente aqueles que exigem um ambiente de baixa temperatura e baixa umidade. Isso é especialmente importante para a preservação de certos tipos de medicamentos, como as vacinas, que precisam ser mantidas em condições ideais de temperatura para manter sua eficácia.

Em algumas áreas do hospital, como em salas de cirurgia, pode ser necessário utilizar ferramentas que não possuem acesso ao ar comprimido. Nesses casos, o nitrogênio é utilizado para alimentar essas ferramentas, sendo transportado através de dutos pressurizados com o controle de pressão por meio de alarmes e outros mecanismos de segurança.

Outra aplicação importante do nitrogênio hospitalar é o resfriamento de dispositivos médicos, como o laser cirúrgico. Nesses casos, o nitrogênio é usado para resfriar o equipamento, evitando que ele aqueça demasiadamente e prejudique a realização do procedimento.

Em resumo, o nitrogênio hospitalar é um gás versátil e fundamental no ambiente médico. Sua aplicação vai desde a remoção de lesões até a produção de medicamentos e conservação de tecidos e amostras de sangue. É um recurso valioso que ajuda a garantir a segurança e a eficácia de muitos procedimentos e tratamentos médicos.

De onde vem o nitrogênio hospitalar

Existem geradores médicos de nitrogênio e cilindros a partir dos quais é possível gerar o fluído. Assim, é possível garantir o nível de pureza necessário para a aplicação na área da saúde. Dentro desse equipamento, o ar é filtrado com precisão e resfriado. Só então é separado dos demais componentes do ar para finalmente ser direcionado ao uso. Para finalizar, passa por tratamentos que permitem que ele adquira as propriedades necessárias para a aplicação médica.

Ele flui para os postos de consumo a partir de uma central de gases, onde cada gás fica armazenado em cilindros específicos. As saídas também são identificadas por cores, que permitem a aplicação precisa e correta das substâncias. É importante considerar que os gases disponíveis podem ser determinados de acordo com a sua clínica. Assim, locais que realizam cirurgias dermatológicas, por exemplo, têm maior necessidade do nitrogênio.

Como ter acesso ao nitrogênio em sua clínica ou hospital

Se você está estruturando a sua clínica, é importante já realizar o planejamento levando em conta toda a estrutura necessária para o uso dos gases medicinais. Você vai precisar também de uma empresa especializada para desenvolver o projeto e fazer a instalação. Essa é a única maneira de garantir que tudo funcionará de maneira adequada, sem colocar seus pacientes em risco.

O ideal é que seja deixado um espaço para a construção da central quando da construção do hospital ou clínica. Entretanto, caso já esteja construído, ainda é possível contratar uma empresa para fazer o planejamento. O primeiro passo é uma visita técnica, na qual será determinada a necessidade do seu estabelecimento.

Em seguida, você receberá um orçamento que, após aprovação, já segue para a fase do projeto, que é um documento onde constam todas as características, materiais e dimensões do sistema. A instalação deve ser fiel a esse projeto, e o sistema só deve entrar em uso após os testes necessários. As manutenções periódicas e a assistência técnica sempre que houver suspeita de algum problema são itens que não devem ser negligenciados.

Curiosidades sobre o nitrogênio medicinal

Além do gás, ele pode ser utilizado em sua forma líquida, que já se apresenta vários graus abaixo de zero. Isso significa que um tecido congela, assim que entra em contato com ele. Tal questão pressupõe seu uso para retirada de verrugas, por exemplo, mas o invalida para cirurgias de maior extensão. Os recipientes de armazenagem precisam ser altamente isolados para evitar a evaporação.

O ar atmosférico é composto por oxigênio, nitrogênio e dióxido de carbono. Diferente do oxigênio, o nitrogênio não alimenta a combustão e, embora constitua 78% da atmosfera, não é o gás mais abundante da crosta terrestre. Foi descoberto em 1722 e, a princípio, Lavoisier o chamou de “azoto” que significa “sem vida”.

A pureza do nitrogênio medicinal pode chegar a 99,99%, o que significa que a ausência de impurezas está perto de uma garantia total. Isso permite a sua aplicação a procedimentos médicos mais precisos, onde a exigência de proteção contra possíveis contaminações é alta. Por outro lado, também demanda mais cuidados em sua fabricação, armazenagem e aplicação.

Instalação do sistema de gases

Para fazer a instalação do nitrogênio medicinal, você pode contratar uma empresa especializada em engenharia. Na hora de escolher, é importante levar em conta o registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) da sua região e a presença de ao menos um engenheiro responsável.

Com profissionais qualificados e experientes, é possível ter acesso a um sistema de alta qualidade. Seus pacientes estarão assistidos nessa necessidade e protegidos de possíveis falhas que colocariam até mesmo as suas vidas em risco (daí a importância das manutenções em dia).

Se você precisa aplicar o nitrogênio hospitalar em sua clínica, entre em contato com a Engethink e conheça nossos serviços.

nitrogênio hospitalar

Matérias Atualizadas Redigidas por Especialistas

Blog - Engethink

Compartilhar nas Redes Sociais

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email