blank

Over 10 years we helping companies reach their financial and branding goals. Onum is a values-driven SEO agency dedicated.

CONTACTS

Fluxômetro de ar comprimido – Por que preciso dele?

O fluxômetro de ar comprimido é peça fundamental no sistema de gases medicinais. O ideal é que todo hospital ou clínica tenha esse aparelho. O uso de tais substâncias na saúde demanda um mecanismo preciso e controlado, já que é a vida do paciente que está em questão. Por essa razão, é necessário prover cada componente que ajude a potencializar a eficiência do todo.

Muitas vezes, quando pensamos no suprimento de gases para hospitais, não imaginamos que o sistema é composto de tantas peças. É por isso que a ajuda profissional é fundamental, de modo que a montagem seja completa, sem que faltem partes importantes, o que comprometeria o funcionamento do sistema.

Está tentando entender se, e por que você precisa de um fluxômetro de ar comprimido? Continue a leitura e tire todas as suas dúvidas.

fluxômetro de ar comprimido

O que é o fluxômetro de ar comprimido?

Primeiramente, podemos dizer que o fluxômetro de ar comprimido, como o próprio nome já sugere, é um aparelho utilizado para controlar o fluxo desse fluído. Composto por um tubo cônico e um flutuador em formato de esfera, o aparelho funciona da seguinte forma: a esfera se desloca e à medida que vai para a parte mais aberta do tubo, a liberação do ar se torna maior.

No tubo, há uma graduação (que normalmente vai de 0 a 15 litros por minuto) que permite mensurar e controlar o quanto de ar é liberado, de acordo com o local onde a esfera se encontra. Gases medicinais são, de certa forma, como medicamentos. Eles devem ser prescritos com precisão. Ainda que o ar comprimido seja mais usado para transportar medicamentos, o seu fluxo influencia na dosagem das drogas, o que significa que a importância é a mesma.

Por que o ar comprimido é tão importante na saúde?

O ar comprimido normalmente está presente em todos os sistemas de gases medicinais. Assim como o oxigênio, trata-se de um componente fundamental para tratar os pacientes. Isso porque ele serve para garantir o fornecimento ininterrupto de oxigênio a todas as instalações da clínica. Isso significa que os dois gases praticamente caminham juntos.

Além disso, ele está presente em alguns processos, como a inalação, na qual ajuda a transportar o medicamento até as vias aéreas do tratado. Sua composição se assemelha ao ar atmosférico (21% de oxigênio e 79% de nitrogênio). Porém, para se aplicar na medicina, não basta simplesmente canalizar o ar que respiramos. Em grande parte, a produção desse gás acontece em laboratório, já que é necessário filtrá-lo antes de utilizá-lo.

Isso porque o ar comprimid precisa ser puro para se aplicar à medicina. Não é o mesmo ar que vemos em compressores industriais. Poeira e partículas contaminadas precisam ser totalmente retiradas para que a integridade do paciente não se coloque em risco, e para que não se danifiquem as peças do sistema.

Quais as partes do sistema de ar comprimido hospitalar?

Como dissemos, o sistema de gases medicinais não se resume ao ar comprimido. Este é apenas uma parte de um todo muito maior. Entretanto, no que diz respeito ao ar comprimido, podemos afirmar que o sistema é formado por um cilindro que armazena o fluído, que normalmente é alocado na central de gases medicinais do estabelecimento.

A partir dali, o ar flui em tubos até as instalações hospitalares, e desemboca na régua de gases medicinais que se encontra próxima a cada leito ou centro cirúrgico, passando pelo fluxômetro. Válvulas, conexões e outras peças menores (mas não menos importantes) também fazem parte do sistema.

Quais os cuidados necessários com o aparelho?

Por tratar-se de um item tão importante para a saúde do paciente, alguns cuidados são necessários, tanto na instalação do fluxômetro quanto no seu uso no dia a dia. Dessa forma, dentre os principais, podemos citar:

  • Verifique a compatibilidade do fluxômetro com o gás que você vai utilizar. Existem no mercado, fluxômetros para oxigênio, ar comprimido e outros gases. Se a sua necessidade é controlar o ar, certifique-se de que a peça adquirida é realmente indicada para essa aplicação;
  • A qualidade do equipamento é fator decisivo na sua escolha. Prefira comprá-lo de lojas autorizadas e certificadas. Jamais caia na tentação de escolher pelo preço, que se for baixo demais pode denotar pouca qualidade, e quando alto demais, nem sempre é garantia de excelência;
  • Faça as manutenções periódicas necessárias em todo o seu sistema, inclusive verifique o fluxômetro. Todo equipamento tem um tempo de vida útil que você precisa observar. Além disso, qualquer sinal de problema, deve servir de alerta para você acionar imediatamente uma assistência técnica;
  • Não pense que você pode instalar o seu fluxômetro sozinho. É necessário contar com a ajuda de uma empresa de engenharia especializada. Ainda que se trate de um reparo ou substituição, o acompanhamento profissional diminui o risco de erros na instalação que levariam a um mau funcionamento;
  • Pessoas que operam o aparelho precisam ter conhecimento do mesmo. Assim, conte com colaboradores qualificados e ofereça treinamentos caso necessário.

Como ter acesso ao fluxômetro de ar comprimido?

Se você ainda não tem um sistema de gases medicinais, pode ser que esse artigo até lhe traga certa preocupação com relação à onde adquirir o fluxômetro. Também, se você vem notando algum problema, pode estar perdido quanto à quem pode ajudá-lo com relação à avaliação e substituição da peça.

Podemos dizer que, em ambos os casos, a presença de um engenheiro é fundamental. Existem no mercado empresas de engenharia especializada, que visam atender a esse tipo de demanda. Dentre as principais atribuições de tais empresas, está a instalação e manutenção de sistemas de gases medicinais. O ar comprimido faz parte desse sistema e, consequentemente, o fluxômetro será necessário.

Em síntese, são empresas que contam com profissionais formados em engenharia, capazes de avaliar a sua necessidade e indicar a peça correta, além de auxiliar na instalação. Além disso, é importante que a empresa tenha registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) da sua região. Experiência no mercado também é fator determinante nos resultados do trabalho.

Se você deseja qualidade e segurança também no fluxômetro de ar comprimido do seu sistema de gases medicinais, conheça a Engethink!!!

Matérias Atualizadas Redigidas por Especialistas

Blog - Engethink

Compartilhar nas Redes Sociais

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email