blank

Over 10 years we helping companies reach their financial and branding goals. Onum is a values-driven SEO agency dedicated.

CONTACTS

Cromatógrafo de gases – preciso de um?

Você sabe para que serve um cromatógrafo de gases? Trata-se de um instrumento usado para análise de amostras e que, portanto, pode ser muito útil quando se fala em gases medicinais ou mesmo industriais. Entretanto, é a aplicação que vai determinar a sua necessidade de tal aparelho. Por isso é importante conhecer e entender seus processos.

É necessário avaliar o que você precisa para o bom funcionamento da sua rede de gases e quais os equipamentos que vão suprir tais necessidades. Dessa forma, o cromatógrafo pode surgir como a solução para um aparente problema e devolver a harmonia a todo o seu sistema e a qualidade de vida aos seus colaboradores e pacientes.

Quer entender melhor como funciona o cromatógrafo de gases? Acompanhe a leitura abaixo.

Instale seu cromatógrafo com a Engethink Engenharia, Agende uma visita aqui!

O que é um cromatógrafo de gases?

Para entender um cromatógrafo, vamos começar pela origem da palavra. O processo de cromatografia consiste em separar ou purificar misturas, a partir de mecanismos de análise. Assim, o cromatógrafo é o aparelho que permite realizar o procedimento completo, desde que instalado e aplicado corretamente.

Um cromatógrafo de gases é um equipamento de análise química utilizado para medir a composição de gases . Ele funciona separando os componentes de um gás em suas partes individuais e medindo a quantidade de cada componente.

O processo de separação dos componentes é realizado através de uma coluna cromatográfica, que tem características específicas que permitem a separação dos componentes. Os componentes separados são detectados por um detector, que pode ser de vários tipos, como por exemplo, detectores de ionização de chama, eletrônicos ou de massa.

O cromatógrafo de gases é amplamente utilizado para garantir a qualidade e segurança dos gases produzidos e distribuídos. Ele é usado para verificar a pureza dos gases, identificar impurezas e detectar quaisquer variações na composição dos gases. Além disso, ele é uma ferramenta importante para o controle de qualidade e regulamentação dos gases.

Em resumo, o cromatógrafo de gases médicos é um equipamento crucial para garantir a qualidade e segurança dos gases utilizados na medicina, e sua utilização é regulamentada por autoridades reguladoras e normas internacionais.

Por essa razão, o melhor a fazer é contar com apoio profissional para avaliar a sua real necessidade do equipamento, bem como para realizar a correta instalação e as manutenções necessárias. Lembre-se de que a segurança deve vir em primeiro lugar quando se fala em melhorias em redes de gases, sejam elas quais forem.

Como funciona o equipamento?

Para obter os benefícios do cromatógrafo, basta inserir a solução no equipamento, pelo bico injetor. A partir daí, a mesma passa por uma coluna, dotada de gás hélio ou nitrogênio. É nessa parte do aparelho que os componentes da mistura se separam. O tempo e o nível de retenção são as informações que você vai utilizar para determinar o padrão, visto que a quantidade do fluído inserida representa apenas uma amostra.

O processo que ocorre dentro do cromatógrafo pode se dividir em duas fases: móvel, que é quando o componente está a percorrer um caminho em contato com o gás presente no instrumento; e estacionária, que é quando ele atinge a separação dos demais itens da mistura, começando assim a interagir com o meio. Vale lembrar que, dentre os componentes de uma mistura, cada um deles tem o seu tempo de atingir essa segunda fase.

Também existe a opção de realizar o processo com os solventes internos em estado líquido. Mas esse seria um aparelho para análise de diversas substâncias em pouco tempo, quando há essa necessidade de uso mais ampliado. Há ainda equipamentos que utilizam vapor pressurizado nessa fase. Entretanto, neste artigo, vamos focar no cromatógrafo de gases.

Quais as principais partes do cromatógrafo?

Basicamente, o cromatógrafo é composto pelas seguintes partes:

  • Abastecimento – normalmente o gás chega em cilindros ou geradores;
  • Filtros – usados para limpeza e/ou purificação dos gases;
  • Controle – para avaliar a vazão e pressão do fluído. Pode funcionar por meios manuais ou eletrônicos;
  • Sistema de injeção – composto por um injetor com sistemas de aquecimento e resfriamento, que funcionam de acordo com a necessidade;
  • Coluna cromatográfica – local onde ficam os gases usados no processo de separação dos fluídos. O comprimento, diâmetro e propriedades da coluna pode variar de acordo com o modelo e aplicação do equipamento;
  • Detector – é o responsável por detectar os gases presentes na mistura, de modo a fornecer elementos para melhor separá-los;
  • Software – é o programa utilizado para controle e acompanhamento de todo o processo que ocorre no interior do aparelho. Através de cabos, interfaces e um computador, ele serve para organizar dados, indicar resultados e criar relatórios;

Será que preciso de um cromatógrafo de gases?

Em sua origem, a cromatografia costuma ser usada em química para a descoberta de componentes de uma mistura. Seu uso na história da ciência inclui essa vantagem e faz referência a um padrão mais complexo. Se nos aprofundarmos na história da cromatografia, poderemos concluir que a sua análise incluiu até mesmo prêmios para químicos renomados nas décadas de 1940 e 1950.

Entretanto, a nossa abordagem aqui diz respeito a um uso mais difundido do aparelho, aplicado ao dia a dia mesmo. Para isso, vamos considerar o processo de cromatografia similar à destilação fracionada. Ambos consistem em separar componentes de uma mistura gasosa, a fim de obter substâncias puras, não é mesmo?

Tal premissa pode se aplicar à obtenção do ar comprimido medicinal, por exemplo. Trata-se de um gás que tem a mesma composição do ar atmosférico. Entretanto, por ir diretamente às vias aéreas do paciente, ele precisa ser puro. Assim, nem sempre basta retirar o ar da atmosfera e filtrá-lo. Muitas vezes, ele se obtém a partir da mistura de seus componentes nas proporções adequadas.

Por essa razão, aplica-se a destilação fracionada a fim de obter cada componente em separado. O cromatógrafo pode ser útil então para conseguir certos fluídos aplicados aos sistemas de gases medicinais. Ele pode, portanto, ser aplicado a clínicas, hospitais e empresas que manipulam tais gases.

Como obter um cromatógrafo?

Uma dúvida muito comum, ao concluir que precisa de um cromatógrafo, diz respeito a onde e como obtê-lo. Afinal, será que trata-se de um equipamento que basta simplesmente adquirir em uma loja e colocar em uso? Por tratar-se de um processo relativamente complexo, a resposta é que você precisa de ajuda profissional.

Ainda que o processo de destilação para obtenção de gases ocorra em larga escala em sua empresa ou clínica, somente um profissional vai saber indicar o modelo e marca ideal de um cromatógrafo de gases. Ele vai ajudá-lo tanto na escolha de onde e qual equipamento comprar até na instalação e nas instruções para uso correto.

Onde encontro esse profissional?

O ideal para quem conclui que precisa de um cromatógrafo é procurar uma empresa de engenharia especializada. O engenheiro é o profissional responsável por fornecer toda a informação que você precisa, além de realizar a instalação e os testes necessários para colocá-lo em uso, bem como as manutenções periódicas e a assistência técnica em caso de suspeita de problemas em seu funcionamento.

Aliás, se você está em dúvida se precisa ou não do cromatógrafo, também pode contar com a ajuda desse tipo de empresa para responder a essa pergunta. Trata-se de um meio seguro de obter um equipamento de qualidade e instalado de forma correta, requisitos essenciais para o funcionamento seguro e eficaz.

E você? Tem alguma dúvida quanto ao cromatógrafo de gases? Deixe sua pergunta nos comentários para que possamos ajudá-lo!

Instale seu cromatógrafo com a Engethink Engenharia, Agende uma visita aqui!

Matérias Atualizadas Redigidas por Especialistas

Blog - Engethink

Compartilhar nas Redes Sociais

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email