blank

Over 10 years we helping companies reach their financial and branding goals. Onum is a values-driven SEO agency dedicated.

CONTACTS

Central de vácuo hospitalar: segurança e eficiência

Dentre os sistemas de gases medicinais mais utilizados, há um que ganha destaque por se diferenciar dos demais. Estamos falando da central de vácuo hospitalar. É claro que ela é apenas uma parte do sistema, que conta também com a central de gases e outros componentes, mas o seu funcionamento é tão singular, que não basta conhecer o sistema geral para entendê-lo.

Entretanto, ela representa um importante componente, do qual dependem algumas funções. Normalmente, costumamos indicar seu uso para a higienização de ambientes hospitalares, a partir da retirada de substâncias que trariam o risco de contaminação para pacientes, acompanhantes e profissionais, caso ficassem no ambiente.

Quer entender a central de vácuo hospitalar, com todas as suas particularidades? Acompanhe abaixo nosso artigo sobre o tema.

blank

Afinal para que serve a central de vácuo hospitalar?

O principal objetivo da central de vácuo hospitalar é sugar substâncias que poderiam contaminar o ambiente hospitalar. Em síntese, estamos falando em fluidos corporais dos pacientes em tratamento ou mesmo restos de medicamentos e substâncias químicas.

Como funciona a central de vácuo hospitalar?

Assim como a central de gases medicinais é composta por cilindros que armazenam a substância, a central de vácuo tem como agente principal uma bomba especial de sucção. Sua pressão e capacidade são determinadas de acordo com as necessidades e porte do estabelecimento de saúde em questão.

A central de vácuo difere do modelo de abastecimento dos demais gases medicinais exatamente por causa da pressão. Já que estamos falando em sucção, isso significa que a pressão de trabalho do sistema será negativa. Dessa forma, no lugar de emitir fluidos que chegam aos pacientes, seu objetivo é fazer o caminho inverso, afastando as substâncias nocivas.

Quais os principais componentes da central de vácuo hospitalar?

central de vácuo hospitalar

Uma central de vácuo hospitalar é composta por alguns itens básicos, porém essenciais para o seu correto funcionamento. Explicaremos aqui os principais:

  • Bomba de sucção – Formada basicamente por uma bomba específica para essa aplicação. A localização desse equipamento no hospital, bem como sua conservação e manutenção, precisam ser observadas;
  • Tubulação – Assim como os gases medicinais fluem por tubulação, o vácuo também passa por um caminho, desde o paciente até a central;
  • Mangueiras – As mangueiras conduzem os fluídos coletados dos pacientes até a tubulação, que os levará finalmente à central;
  • Régua de gases – As mangueiras estão ligadas a uma régua de gases, que fica na cabeceira dos leitos de internação. Assim, o vácuo é um dos componentes dessa régua, normalmente identificado pela cor cinza.

Um sistema seguro e efetivo é aquele que conta com todas as ferramentas necessárias para seu correto funcionamento.

Que cuidados devemos tomar com a central de vácuo hospitalar?

A central de vácuo hospitalar também demanda alguns cuidados, que vão desde a instalação, até a sua manutenção e rotina de uso. Dentre os principais cuidados, vale lembrar:

  • Adquirir equipamentos certificados – Cada componente da central precisa contar com qualidade comprovada. Para isso, a certificação é fundamental. Dessa forma, é importante adquirí-los com fornecedores confiáveis;
  • Centralize o máximo que puder – Para que o seu sistema funcione bem, busque adquirir o máximo de itens do mesmo fornecedor. Tal medida vai facilitar a interligação das peças entre si e as substituições sempre que necessárias;
  • Adote dispositivos de segurança – Os filtros bacteriológicos e outros dispositivos de segurança são fundamentais para evitar a contaminação, seja durante o funcionamento da central ou na hora de fazer a limpeza. Em síntese, é necessário garantir, inclusive, que não haverá vazamento de água ou resíduos contaminados;
  • Conte com serviços especializados – Instalar uma central de vácuo hospitalar demanda conhecimentos técnicos e experiência. É por isso que você deve contratar uma empresa especializada para fazê-lo.

Quais as etapas para instalação da central de vácuo hospitalar?

A instalação da central de vácuo hospitalar não é algo que pode ser feito de um dia para o outro. Tudo demanda planejamento. É importante passar por algumas etapas, que garantem segurança e efetividade. Quer ver?

  • Projeto – O primeiro passo é a realização do projeto. O vácuo hospitalar pode ser apenas parte de uma central de gases medicinais ou um projeto único, caso você já conte com um sistema existente para os demais componentes;
  • Instalação – A instalação do sistema deve seguir à risca as instruções existentes no projeto. Quanto mais fiel ela for ao documento, maior a segurança;
  • Teste – Antes de ser colocado em uso, o sistema passa por testes, para evitar que haja falhas, que colocariam a vida do paciente em risco;
  • Manutenção – As manutenções periódicas devem ser realizadas, de acordo com determinação do órgão competente na sua região e da empresa que realizou o seu projeto e instalação. Também é importante buscar ajuda sempre que houver indícios de que algo não vai bem com o sistema;
  • Suporte técnico – A princípio, contar com alguém para tirar dúvidas e verificar o sistema sempre que algum evento atípico acontecer é fundamental. Se a mesma empresa realizar todas essas etapas, melhor ainda.

Quais as normas legais para instalação da central?

A central de vácuo hospitalar precisa seguir aos requisitos legais impostos para o serviço. A principal norma que podemos citar é a NR 12188, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que versa sobre centrais de gases medicinais em geral, incluindo portanto as normas para o vácuo hospitalar.

Quem pode instalar a sua central de vácuo hospitalar?

A central de vácuo hospitalar pode ser instalada por empresa especializada em engenharia. Principalmente, buscar uma empresa experiente, com registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) da sua cidade é o melhor caminho para um sistema seguro.

Sobretudo, na hora de pesquisar sobre a empresa, certifique-se de que há ao menos um engenheiro responsável em seu quadro de funcionários e busque referências confiáveis. Quanto mais cases de sucesso e avaliações positivas, maior a confiabilidade da empresa em questão.

Como se pode ver, é possível contar com uma central de vácuo hospitalar segura e funcional em seu estabelecimento de saúde. Para isso, basta buscar ajuda profissional. Uma empresa especializada vai ajudar você a adquirir os equipamentos, realizar o projeto e instalação e garantir a segurança durante operação.

Quer saber mais? Contate a Engethink e conheça nossas soluções nesse sentido.

blank

Matérias Atualizadas Redigidas por Especialistas

Blog - Engethink

Compartilhar nas Redes Sociais

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email